Ao longo das últimas semanas as gigantes da tecnologia anunciaram uma série de novos produtos e funcionalidades que movimentaram não só os feeds de notícias, como também o mercado do marketing digital.

Hoje o anúncio da previsão de queda nos lucros do Facebook para o ano que vem, acendeu um alerta nos investidores, mas ao mesmo tempo nos faz questionar o que estaria Mark Zuckerberg e companhia planejando para mais uma vez driblar as estimativas negativas.

Não podemos esquecer que no passado o Facebook já passou por uma situação parecida e deu a volta por cima investindo em dispositivos móveis, e a estratégia deu tão certo, que atualmente o mobile é responsável por nada menos que 84% de toda a receita de publicidade da companhia. Mas além da incógnita do Facebook, algumas apostas quanto ao futuro do marketing digital são bem mais certeiras.

Confira agora 5 tendências de marketing digital, para se ficar ligado em 2017:

O marketing e o tudo pelo social

O despertar de uma consciência política e social é um fenômeno crescente e tem impactado todos os setores da sociedade. De acordo com relatórios da Trendwatching, a grande responsável por isso é a crise que assola a América Latina, fazendo com que os consumidores ficassem mais criteriosos em relação às marcas que consomem e ao posicionamento das empresas frente aos problemas sociais em evidência.

A tendência é que mesmo que a crise se amenize, as pessoas continuem engajadas e críticas quanto a reputação construída pelas empresas, então em 2017, tão importante quanto promover ofertas, será reforçar marcas apelando para ações voltadas para responsabilidade social. Grandes corporações já têm feito isso e a aposta é que a iniciativa vire regra, ao menos para aqueles que desejam crescer e não perder espaço para a concorrência.

Fazer campanhas em favor da igualdade e do meio ambiente, criar landing pages estimulando doações, adotar instituições e aumentar a transparência nos negócios, são algumas ações que podem fazer com que seus consumidores criem um vínculo com sua marca.

Remarketing de conteúdo

O marketing de conteúdo está com tudo nos últimos anos e a tendência para 2017 é o content remarketing. O remarketing, até então muito usado em anúncios de e-commerces para fazer com que os clientes retomassem uma compra, ganha um novo direcionamento no marketing de conteúdo: ao invés de levar os usuários de volta a uma página de compra, ele o direciona para os melhores conteúdos do seu site, reconquistando um lead e fazendo com que ele retorne para a jornada do consumidor.

O Domínio do mobile

Os acessos via dispositivos móveis tornaram-se tão significativos que mudaram até os critérios de ranqueamento nos mecanismo de busca, portanto, em 2017 o mobile continua sendo tendência. Se sua empresa quer ganhar tráfego, conversões ou seja lá qual seja o objetivo da sua estratégia de marketing, responsividade será a palavra-chave.

Se você não sabe o que é wearables está na hora de descobrir

Pulseiras, óculos, relógios, a “tecnologia para vestir” ou os dispositivos wearables são a evolução da tecnologia móvel e criar aplicativos para esses aparelhos é uma tendência para 2017. Mesmo com os consumidores ainda relutantes, estima-se que em a indústria tenha vendido 171 milhões de unidades de dispositivos como os  smartwatches, o que deve estimular a indústria a investir ainda mais nesse segmento. Os apps para wearables, podem ser um bom canal para atingir um público mais segmentado e antenado.

As compras multicanal

Em 2017 a principal tendência de mercado será a sincronia total entre todos os canais de comunicação. Websites, mídias sociais e aplicativos devem ter linguagens próprias, mas possuir a mesma identidade e a experiência online do cliente deve estar alinhada com o atendimento da loja física. Isso é importante, porque no ano que vem a aposta é que esses canais trabalhem interligados e façam parte de uma única experiência. O cliente poderá escolher no site e retirar na loja física, ou ainda interagir na fanpage e acumular descontos que poderão ser utilizados na loja virtual, por exemplo. A ideia é que todos os canais sejam um elo no processo de fidelização do cliente e gerem aderência a marca.

 

 

Sobre o(a) autor(a)

cadastre-se e receba novidades