O que é Padronização no Desenvolvimento de Sites?

Consiste na utilização de regras de codificação e estruturação do código dos sites de acordo com as especificações comuns utilizados por todos os navegadores de internet

O W3C desenvolve especificações técnicas e orientações através de um processo projetado para maximizar a consenso sobre as recomendações, garantindo qualidades técnicas e editoriais, além de transparentemente alcançar apoio da comunidade de desenvolvedores, do consórcio e do público em geral.

A W3C é hoje a entidade mais conceituada de padronização da rede mundial de computadores. 

Ela é formada por umconsórcio internacional composto por 400 empresas, órgãos governamentais e associações independentes, e tem como objetivo estabelecer protocolos para o desenvolvimento de conteúdos para a internet.

A ideia é padronizar através do melhoramento de ações o modo como os códigos são escritos, facilitando sua leitura por equipamentos e softwares.

Websites desenvolvidos de acordo com esses padrões, ficam disponíveis á acesso e visualização de qualquer pessoa ou tecnologia, independente do hardware ou software utilizado.

Esses padrões são criados a partir de  estudos das tecnologias existentes para a apresentação de conteúdo na internet e compreender onde cada conhecimento deve ser aplicado.

Até chegar ao mercado um padrão passa por uma série de estágios de maturação. Estes níveis cobrem toda a vida do documento, desde seu processo de publicação, até a sua edição ou retirada.

Só a publicação de um novo padrão, passa obrigatoriamente por 4 níveis: Working Draft ou rascunho de trabalho, Candidate Recommendation ou recomendação candidata, Proposed Recommendation ou recomendação proposta , e Proposed Recommendation ou recomendação proposta.

Alguns padrões como HTML, XHTML e CCS, embora muito conhecidos, comumente são desenvolvidos sem conhecer as especificações, dificultando o acesso às suas páginas.

Conheça alguns padrões

CCS: linguagem utilizada para definir apresentação de documentos escritos em alguma linguagem de marcação. Promove a separação entre o formato e o conteúdo do arquivo.

GCI: permite gerar páginas dinâmicas, possibilitado ao navegador passar parâmetros para um programa alojado num servidor web.

RDF: linguagem para representar informação na internet, são modelos ou fontes de dados.

SVG: linguagem XML para descrever de forma vetorial desenhos e gráficos bidimensionais.

OWL: linguagem usada para definir ontologias na web, que pode incluir descrições de classes  e suas propriedades e relacionamentos.

XQuery: linguagem de consultas com recursos de programação projetada para fazer consultas em coleções de dados XML.

XPathy: linguagem de programação que possibilita construir expressões que recorrem e processam um documento XML de forma parecida a expressão regular.

SOAP: protocolo para troca de informações estruturadas em uma plataforma descentralizada e distribuída.

XML: especificação que descreve um modelo de dados abstrato de um documento em termos de um conjunto de itens de informação.

 

 

Tiago Flores Dias
Tiago Flores Dias Sobre o(a) autor(a)
Consultor de Marketing Digital, Growth Hacker e Empreendedor com mais de 18 anos de experiência de mercado, apaixonado por inovação e líder de uma das maiores agências de marketing digital de performance do país.

Siga-me


cadastre-se e receba novidades